Acordo pela desnuclearização das Coreias é assinado por Trump e Kim
Acordo pela desnuclearização das Coreias é assinado por Trump e Kim
Segundo o líder norte-coreano, "o passado ficou para trás" e o mundo agora verá uma "grande mudança"
Postado em 12/06/2018

Durante encontro histórico, realizado nesta terça-feira (12), em Singapura, foi firmado o acordo de desnuclearização completa da península coreana entre os líderes Donald Trump e Kim Jong-un. No evento, ocorrido no hotel Capella, na ilha de Sentosa, o governante norte-coreano não poupou o uso das frases de efeito que lhe são marca registrada. Dentre as pérolas, destacaram-se as afirmações de que Coreia do Norte e Estados Unidos “decidiram deixar o passado para trás” e de que “o mundo verá uma grande mudança” após a assinatura do documento.


(Donald Trump exibe sua assinatura e a de Kim Jong-Un em declaração conjunta (Foto: Saul Loeb/AFP))


O acordo, assinado por Trump e Kim, contém quatro itens. No mais relevante deles, o país coreano se compromete por prosseguir com a desnuclearização completa da península. O documento reitera, assim, o que já havia sido disposto na Declaração de Panmunjon, ratificada em 27 de abril de 2018, entre Coreia do Norte e Coreia do Sul.


 (Donald Trump e Kim Jong-Un, líderes dos Estados Unidos e Coreia do Norte, respectivamente, assinam o acordo em Singapura, nesta terça-feira (12) (Foto: Reuters/Jonathan Ernst))


Outros pontos tratados discorreram sobre a manutenção de uma relação de paz e prosperidade entre os dois países; a união de esforços pela construção de um regime de paz estável e duradoura na península coreana, e o comprometimento tanto de Washington quanto de Pyongyang pela recuperação dos restos mortais de prisioneiros de guerra, o que deve incluir a repatriação imediata dos já identificados.


Ao final da cúpula, que durou mais de quatro horas, Donald Trump se declarou satisfeito com o resultado, o qual considerou “bastante completo”. Declarou, ainda, que “decerto” iria convidar o líder norte-coreano para uma visita à Casa Branca. "Aprendi que ele é um homem muito talentoso que ama muito seu país. É um negociador de valor, que negocia em benefício de seu povo", afirmou.