Americana de 92 anos atira em filho para não ser mandada a asilo
Americana de 92 anos atira em filho para não ser mandada a asilo
O filho, de 72 anos, faleceu com ferimentos de bala no pescoço e na mandíbula; a mãe foi presa acusada de homicídio qualificado
Postado em 5/07/2018
(Escritório da Polícia do Condado de Maricopa, EUA)

Na última segunda-feira (2), uma senhora norte-americana, de 92 anos, disparou três tiros contra seu próprio filho, de 72 anos, que não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer. De acordo com as autoridades locais, o assassinato se deu para evitar que o filho prosseguisse com os planos de, a contragosto da mãe, enviá-la a um asilo.


Segundo a BBC, Anna Mae Blessing havia tomado conhecimento das intenções do filho há poucos dias e estava furiosa com a perspectiva de ser mandada para uma casa de repouso. Decidindo por confrontá-lo, na manhã de segunda-feira, ela seguiu para o quarto dele, carregando, nos bolsos de seu roupão, duas armas de fogo.


No calor da discussão, Anna Mae sacou um dos revólveres, adquirido na década de 1970, e disparou em seu filho. O homem, cujo nome não foi divulgado, morreu com ferimentos no pescoço e na mandíbula. A senhora tentou ainda atirar na namorada dele, de 57 anos, mas essa conseguiu se esquivar e, mais tarde, acionar o xerife da cidade.


Chegando à casa de Blessing, a polícia de Fountain Hills encontrou-a sentada calmamente, em seu quarto, numa cadeira reclinável. Ao ser abordada, ela demonstrou certo arrependimento, chegando mesmo a afirmar que merecia “ser posta para ‘dormir’” por conta de seus atos. Mas, quando foi escoltada para fora de sua residência, supostamente teria olhado para o interior da casa e dito “você tirou minha vida, então eu tirei a sua”.  


Acusada, então, por homicídio qualificado, Anna Mae foi presa e teve sua fiança arbitrada para o valor de US$ 500 mil (aproximadamente R$1,9 milhão).