Burger King se desculpa por estimular sexo com jogadores da Copa
Burger King se desculpa por estimular sexo com jogadores da Copa
Empresa oferecia dinheiro e lanches para quem engravidasse dos esportistas
Postado em 21/06/2018
(Foto:Gene J Puskar/AP)

Na última terça-feira (19), o Burger King havia veiculado em redes sociais a seguinte promessa: daria 3 milhões de rublos russos (algo em torno de R$ 178 mil) e garantiria hambúrgueres gratuitos para todas as russas que engravidassem de jogadores da Copa do Mundo. A repercussão negativa, por óbvio, não tardou. E, poucas horas depois, a empresa se viu obrigada a emitir um pedido de desculpas.  



A campanha publicitária, tachada de sexista e humilhante, pregava que o prêmio serviria para o “sucesso da seleção russa através das gerações” por assegurar “melhores genes futebolísticos” no país. Não bastante, para completar o quadro polêmico, o anúncio trazia ao final: “Vá em frente! Nós acreditamos em você!”


Diante das inúmeras críticas, o Burger King, em seu pedido de desculpas, concordou que a proposta publicitária foi “demasiadamente ofensiva” e ressaltou que a oferta de sua subsidiária na Rússia não refletia a marca nem os valores da empresa como um todo. Afirmaram ainda ser este um caso isolado, o qual “jamais irá se repetir”.


(Anúncio trazendo trocadilho com sentido sexual, algo como “ele vai fundo na garganta” em referência ao lanche de 18 centímetros)


Vale lembrar, contudo, que esta não é a primeira vez que a empresa se engaja em campanhas sexistas. Em 2009, uma modelo veio a público se dizer “ultrajada” com o uso de sua imagem num anúncio da companhia, no qual ela fora posta, sem seu prévio conhecimento, num contexto de conotação altamente sexual. Já no ano passado, a filial russa do Burger King não viu problemas em “ironizar” uma vítima de estupro em sua publicidade.


(Propaganda ironizando garota russa de 17 anos, vítima de estupro)


E vocês, ainda acreditam que propagandas assim “nunca irão se repetir”?