Preso casal mexicano que transportava cadáveres em carrinho de bebê para vender no mercado negro
Preso casal mexicano que transportava cadáveres em carrinho de bebê para vender no mercado negro
Acredita-se que 20 mulheres foram vítimas da dupla; a população do país está indignada
Postado em 9/10/2018
(Foto: Estado do México/Reprodução)

Na última quinta-feira (4), um casal havia sido preso no México após ser flagrado transportando partes de cadáveres em um carrinho de bebê, na cidade de Ecatepec. Acreditava-se, então, que a dupla era responsável por pelo menos 10 assassinatos na região leste do país. 


Contudo, em audiência ocorrida na segunda-feira (8), um dos suspeitos confessou que o número de mortos era, na verdade, o dobro do esperado: conforme relatou, foram, no total, 20 mulheres, as quais eram vítimas de estupro e então brutalmente assassinadas pelos dois.


(Casal levava partes de cadáveres dentro de carrinho de bebê. Foto: Telediario Mx/Reprodução)


Após a prisão do casal, as autoridades mexicanas encontraram em seu apartamento vários corpos desmembrados, os quais eram conservados em baldes cheios de cimento dentro de uma geladeira. Os promotores do caso acreditam que os cadáveres eram assim mantidos para poderem, posteriormente, ser vendidos no mercado negro. 


A polícia local, no entanto, ainda não sabe a quem eles seriam ofertados - ou a finalidade a que se dedicariam.


Embora feminicídios (assassinatos de mulheres) não sejam um crime incomum no México - e, ao bem da verdade, em sua maioria terminem com a impunidade dos assassinos, os detalhes chocantes deste caso em Ecatepec deixaram a população mexicana completamente indignada. 


(Centenas se reuniram em protesto contra a reincidência de feminicídio no México. Foto: Reuters)


No domingo (7), um dia antes da audiência do casal no tribunal, diversos protestos foram organizados na região em prol de justiça e mais segurança às mulheres do país.


“Nem mais uma! Basta de assassinatos”, lia-se em um dos cartazes.