Russos estão aprendendo a sorrir por conta da Copa
Russos estão aprendendo a sorrir por conta da Copa
O inusitado desafio das empresas de tornar seus funcionários mais “simpáticos”
Postado em 15/06/2018

Em época de Copa, as tradições e costumes do país-sede sempre são alvo de curiosidade do público. Este ano não foi diferente - a Rússia, afinal, é um país bastante peculiar em muitos aspectos. Você sabia, por exemplo, que lá as pessoas evitam dar apertos de mão sem cruzar uma porta depois? Ou que nunca deixam garrafas vazias em cima da mesa, pois isso atrai pobreza? Pois é. Moscou tem mesmo muitas superstições e hábitos incomuns, mas nenhum deles chamou tanto a atenção quanto um em específico: os russos não sorriem.


 (“Precisamos ensiná-los a sorrir. Precisamos mudar a postura deles”. Foto: BBC)


Se você achou isso absurdo ou exagerado, prepare-se porque piora. Não só os cidadãos de Putin não sorriem, como o ato de sorrir em espaços públicos é mal visto no país. A cineasta russa Yulia Melamed tirou a prova final disso. Andando pelas ruas de sua cidade, ela decidiu sorrir para um policial e, para sua surpresa, foi imediatamente parada por este. Quando questionado por ela sobre o motivo do ocorrido, ele simplesmente respondeu que achou “estranho e suspeito” o fato de ela estar sorrindo. 


 (Yulia Melamed foi parada por policial por estar sorrindo. Foto: BBC)


Essa postura sisuda da Rússia, no entanto, está sendo remodelada por conta da Copa. Diante da vinda de milhares de estrangeiros para seu território, muitos russos tiveram de flexibilizar seus hábitos e aprender a sorrir. Companhias tais quais aeroportos e estações de trem estão fornecendo treinamento para que seus funcionários adotem uma postura mais “amigável” e “descontraída”. Abaixo, você pode conferir o vídeo dessa experiência inusitada.



Além desse treinamento, na quinta-feira (14), com a vitória de 5 a 0 no jogo contra a Arábia Saudita, os russos tiveram mais um motivo para sorrir. Só resta saber agora quantos russos foram parados nas ruas por esse comportamento subversivo…


E você, já sorriu hoje?