Condenado a 30 anos jovem que matou a mãe e guardou cabeça decapitada na geladeira
Condenado a 30 anos jovem que matou a mãe e guardou cabeça decapitada na geladeira
Em julgamento tenso, nos EUA, o acusado se disse arrependido e pediu perdão: “desculpa, mamãe”
Postado em 20/01/2019
Foto: Handout/Reprodução

Nos Estados Unidos, um chinês acusado de ter matado a própria mãe durante uma discussão acalorada foi sentenciado, nesta segunda-feira (14), a 30 anos de prisão. Ele aguardava o julgamento desde 2017, quando havia se entregado a polícia após uma tentativa de suicídio.


Na ocasião, o condenado, Gong Yu Wei, teria admitido o assassinato e mostrado aos policiais os restos mortais de sua mãe, os quais estavam guardados em uma geladeira. Segundo relatório oficial, o corpo da vítima se encontrava em várias partes desmembradas, incluindo a cabeça decapitada, sendo mantidas dentro de sacos de lixo. 


Num julgamento preliminar, no ano passado, Gong já havia se declarado culpado pelo crime, na tentativa de evitar a prisão perpétua. À época, segundo sua advogada Darcia Forester, a confissão foi “bem-vista” pelo promotor do caso, sendo então assinado um acordo garantindo uma pena mais branda.


(Condenado se disse envergonha pelo crime e pediu desculpas aos familiares. Foto: AP/Reprodução)


Durante o tribunal desta segunda-feira, após reafirmar a responsabilidade pela morte de sua mãe, o jovem de 28 anos manteve a cabeça baixa e pediu desculpas aos seus familiares. “Eu tenho vergonha do que fiz. Desculpa, mamãe”, afirmou ele.


De acordo com sua advogada, apesar do pedido de desculpas, o condenado não se sente digno do perdão da família, estando devastadoramente arrependido de suas ações. 


“Quero deixar claro que ele amava a mãe, e que ela era uma mãe muito boa”, declarou a defensora. “Sob nenhuma circunstância ela merecia o que aconteceu.”


Ao final da sessão, o juiz do caso, Paul Wong, decidiu por condenar Gong Yu Wei a 30 anos de prisão pelo homicídio da mãe e pela posterior ocultação do corpo. A pena poderá ser reduzida caso ele mantenha ‘bom comportamento’ durante o cumprimento, mas a promotoria não recomenda que ele cumpra menos de 20 anos.