Meninos da Caverna na Tailândia: conheça os 13 integrantes do grupo
Meninos da Caverna na Tailândia: conheça os 13 integrantes do grupo
Saiba quem são os 12 meninos que formam o time de futebol Wild Boars, preso numa caverna na Tailândia desde 24 de junho
Postado em 10/07/2018
(Foto: BBC)

Em 24 de junho, 12 meninos de um time de futebol adolescente e o seu treinador ficaram presos numa caverna no norte da Tailândia. Lá, eles permaneceram, sem comida e com frio, à espera das equipes de busca, que os encontraram só nove dias depois. O desfecho da história, contudo, foi feliz. Nesta terça-feira (10), o processo de resgate foi concluído, e todos os membros do grupo foram retirados do local.


(O time de futebol Wild Boars. Reprodução: Facebook)


Poucas informações foram divulgadas sobre os 12 garotos do time de futebol Moo Pa (também conhecido como Wild Boars), mas a BBC e a AFP conseguiram reunir alguns detalhes para que possamos conhecer um pouco mais sobre eles. A seguir, você confere o perfil de cada um dos meninos e do treinador do time.  


Chanin Vibulrungruang (apelido: Titan), 11 anos


(Chanin Vibulrungruang, também conhecido como “Titan”. Foto: Reprodução O Globo)


É o integrante mais novo do time. Apaixonado por esportes, “Titan” joga futebol desde os sete anos de idade e, antes de ser convidado para jogar no Wild Boars, ele já jogava no time de sua escola, Anubanmaesai, em Mae Sai. Em carta aos pais, pediu que lhe trouxessem frango frito.


Panumas Sangdee (apelido: Mig), 13 anos


Estudante da escola Mae Sai Prasitsart, “Mig” é, segundo o treinador do time, Nopparat Kantawong, bem alto para sua idade e também muito ágil. Em carta aos pais, disse que os marinheiros eram muito simpáticos com ele.


Duganpet Promtep (apelido: Dom), 13 anos


“Dom” é o capitão do time Wild Boars e grande promessa do esporte. Diz-se que ele foi convidado para participar de vários clubes profissionais tailandeses. Os outros membros do Wild Boars o respeitam muito, tanto por sua habilidade de liderança quanto por seu talento no futebol. Estuda também na escola Mae Sai Prasitsart.


Adul Sam-on (apelido: Dul), 14 anos


Nascido em Mianmar (antiga Birmânia), Adul deixou sua família para seguir com sua educação na Tailândia. Tem grandes habilidades linguísticas, sendo o único membro do time que foi capaz de conversar com os mergulhadores britânicos que os encontraram. Além de inglês, Adul fala tailandês, chinês e birmanês. Estudante da escola Ban Wiang Phan, “Dul” foi uma das primeiras crianças a sair da caverna. 


Somepong Jaiwong (apelido: Pong), 13 anos


Com o sonho de se tornar um jogador profissional de futebol, “Pong” é descrito pelos seus professores de sua escola, Mae Sai Prasitsart, como um “garoto alegre que gosta de todos os esportes”. A ambição máxima dele é entrar para a seleção tailandesa.


Mongkol Booneiam (apelido: Mark), 13 anos


Segundo seus professores na escola Ban Pa Muat, “Mark” é um menino muito estudioso e comportado, de ótima indole. Seu pai, Thinnakorn Boonpiem, disse não saber o que o menino gosta mais: de estudar ou do futebol. Ele foi, de acordo com o jornal Bagnkok Post, o primeiro garoto a sair da caverna.


Nattawut Takamrong (apelido: Tern), 14 anos


(Nattawut Takamrong, conhecido como “Tern”. Foto: Reprodução O Globo)


“Tern” estuda na escola Mae Sai Prasitsart e está no oitavo ano. Em carta, ele pediu aos familiares que não se preocupassem.  


"Papai e mamãe não estão bravos com você e não o culpam", responderam seus pais, dizendo ainda estarem esperando por ele "na frente da caverna".


Peerapat Sompiangjai (apelido: Night), 17 anos


Night estava celebrando seu aniversário na primeira noite em que passou dentro da caverna. Os amigos haviam levado diversas guloseimas para comemorar a data, e elas, provavelmente, foram o que ajudaram os meninos a se manterem durante os nove dias nos quais ficaram presos lá. 


Ekarat Wongsukchan (apelido: Bew), 14 anos


Estudante da escola Darunratwitthaya, “Bew” escreveu à sua mãe prometendo que, assim que saísse da caverna, iria ajudá-la na loja em que ela trabalha. 


Prajak Sutham (apelido: Note), 15 anos


(Prajak Sutham, conhecido como “Note”. Foto: Reprodução O Globo)


“Note” é outro menino que fez aniversário dentro da caverna, no dia 1º de julho. Aluno da escola Mae Sai Prasitsart, ele é, de acordo com familiares, um “menino inteligente e tranquilo". 


Pipat Pho (apelido: Nick), 15 anos


Nick também comemorou seu aniversário no dia em que ficou preso na caverna. Estudante da escola Ban San Sai, ele pediu aos pais que lhe trouxessem um prato de churrasco tailandês, seu prato preferido. 


Pornchai Kamluang (apelido: Tee), 16 anos


“Tee” é o segundo mais velho dos meninos e estuda na escola Ban Pa Yang. Em carta aos pais, escreveu: "Não se preocupem, eu estou muito feliz". 


Treinador do time, Ekapol Chantawong (apelido: Ake), 25 anos


Nascido em Mianmar, “Ake” foi monge budista antes de ser treinador de futebol. De acordo com reportagens locais, suas técnicas de meditação e respiração foram de grande ajuda para manter a calma dos meninos dentro da caverna. 


Em carta, ele pediu desculpas aos pais pelo ocorrido, dizendo se sentir terrivelmente culpado por ter colocado os meninos em tal situação. Os pais, contudo, disseram não o responsabilizar. 


Quando encontrados, de todos os membros do grupo, “Ake” era o mais fraco. Segundo relatos da mídia tailandesa, ele recusava-se a comer qualquer coisa, preferindo dar os alimentos disponíveis aos garotos.