Copa do Mundo: As 5 vezes em que a ‘Maldição dos Campeões’ assombrou as Seleções vitoriosas
Copa do Mundo: As 5 vezes em que a ‘Maldição dos Campeões’ assombrou as Seleções vitoriosas
Até mesmo o Brasil já sofreu com a famigerada eliminação precoce
Postado em 4/07/2018
Os atuais campeões mundiais da Alemanha foram eliminados pela Seleção sul-coreana. Foto: FIFA

A eliminação da Alemanha, a atual campeã mundial, ainda na primeira fase da Copa de 2018, deixou o mundo do futebol de queixo caído e os torcedores alemães bastante decepcionados.


Se serve de algum consolo para os atuais detentores da taça, essa não é a primeira vez em que uma Seleção campeã do mundo volta pra casa ainda na fase de grupos. Nem a segunda vez. Nem a terceira vez…


Abaixo, nós listamos as incríveis 5 vezes em que a ‘Maldição dos Campeões’ levou as torcidas da expectativa do bicampeonato ao desapontamento da eliminação:



1. Itália, 1950


Partida de abertura da Copa de 1950, no Estádio do Maracanã. Foto: Arquivo Nacional Após vencer duas Copas consecutivas antes da Segunda Guerra Mundial, em 1934 e 1938, todos esperavam uma volta triunfal da Seleção italiana para a Copa do Mundo no Brasil, em 1950. No entanto, o time que chegou em terras brasileiras não conseguiria repetir os mesmos feitos incríveis do passado.

desastre aéreo de Superga, que levou à morte 18 jogadores do Torino em maio de 1949, não apenas desfalcou a Seleção italiana, como a levou a preferir uma tradicional travessia marítima a bordo de um navio transatlântico.


Como diz o ditado popular, o seguro morreu… bem cedo, na verdade.


A viagem exaustiva de navio deixou os jogadores italianos fora de forma, perdendo a primeira partida para a Suécia por 3-2 e vencendo o Paraguai por 2-0, resultados que não foram suficientes para qualificar os campioni para a próxima fase.



2. Brasil, 1966 


A maior dupla da história do futebol brasileiro, Pelé e Garrincha. Foto: CBFO período entre 1958 e 1970 é considerado a era de ouro da Seleção canarinho na história das Copas, com a lendária dupla Pelé e Garrincha levando o Brasil a três títulos mundiais, em 1958, 1962 e 1970. 


Espera um pouco, e a Copa de 66?


Na ‘Copa-que-não-deve-ser-mencionada’, ocorrida na Inglaterra, a famigerada ‘Maldição’ atingiu não apenas uma Seleção campeã do mundo, mas uma que havia vencido as duas competições imediatamente anteriores.


Enquanto a jornada rumo ao tricampeonato começou com uma bela vitória de 2-0 sobre a Bulgária, a marcação agressiva em cima de Pelé o deixou de fora da próxima partida, uma derrota de 3-1 para a Hungria.


O destino da Seleção seria finalmente selado com ainda outra derrota por 3-1 sem a atuação de Pelé, desta vez para Portugal, eliminando os então bicampeões do mundo ainda na primeira fase.


É por isso que nós não falamos da Copa de 66...



3. França, 2002


Após uma vitória histórica em casa na Copa de 1998, a França chegou na Copa de 2002, no Japão e na Coreia do Sul, sonhando com o bicampeonato. Algo que os brasileiros sabem muito bem que não aconteceu.


O que não sabíamos, porém, era da extensão do fracasso dos então campeões mundiais naquela competição. A Seleção francesa perdeu de 1-0 para os estreantes do Senegal, um empate de 0-0 para o Uruguai e uma derrota de 2-0 para a Dinamarca.


Não só a Seleção francesa foi eliminada ainda na primeira fase, como ela teria uma das piores performances de um campeão mundial na história do torneio, voltando para casa em último lugar no seu grupo e sem marcar um único gol.


Nós bem que poderíamos dizer “bem feito” pela derrota do Brasil em 1998, mas vamos prezar pelo fair play, não é mesmo?


4. Itália, 2010 

O capitão da Seleção italiana, Fabio Cannavaro, decepcionado com a eliminação da equipe. Foto: Getty Exatos 60 anos após o fiasco da Copa de 50, a Azzurra viveria novamente a decepção de uma eliminação rápida, na esteira da euforia de uma conquista emocionante.

Após se tornarem tetracampeões na Alemanha, em 2006, os jogadores italianos chegaram ansiosos para igualar o Brasil com um pentacampeonato na Copa de 2010, na África do Sul. O otimismo, porém, não duraria muito. 

A Seleção italiana não conseguiu vencer nenhuma das três partidas da primeira fase, empatando com o Paraguai e a Nova Zelândia e perdendo de 3-2 para a Eslováquia, a qual se classificaria para as oitavas-de-final em seu lugar.

É, o ‘penta’ não é para qualquer um, Itália!


5. Espanha, 2014


O jogador holandês Robben dribla o goleiro espanhol Casillas para marcar o quinto gol da Holanda, em Salvador. Foto: 

Antônio Milena/VEJA

Após incríveis temporadas em campo e uma vitória histórica contra a Holanda na Copa de 2010, os então campeões mundiais da Espanha não esperavam ser os protagonistas de ainda outro episódio da ‘Maldição dos Campeões’.


Durante a Copa do Brasil, em 2014, os holandeses dariam o troco, vencendo os espanhóis por humilhantes 5-1 já na partida de estreia, em Salvador. A decepção não pararia por aí, com ainda outra derrota por 2-0 para o Chile, no Maracanã.


Nem mesmo uma vitória de 3-0 contra a Austrália, em Curitiba, serviu de consolo para a então já eliminada Seleção espanhola. Olhando pelo lado positivo, ao menos eles não foram tão mal quanto os franceses…


É, a vida de um campeão mundial não parece ser nada fácil. Mas acho que preferimos correr o risco, não é mesmo?




O que você acha da ‘Maldição dos Campeões’? Coincidência ou tendência? Deixe o seu comentário.