Enguias drogadas com cocaína são descobertas em rios poluídos
Enguias drogadas com cocaína são descobertas em rios poluídos
Seriam elas as arqui-inimigas do leão do Proerd?
Postado em 22/06/2018

Combustíveis. Sacos plásticos. Tintas. Agrotóxicos. São tantos os poluentes a chegarem às nossas águas que é difícil imaginar como a humanidade poderia atrapalhar ainda mais a vida dos seres aquáticos...


… e então aparecem as enguias drogadas com cocaína.


Não, você não leu errado. Um grupo de oito cientistas publicou, recentemente, uma pesquisa mostrando que resíduos concentrados de cocaína em rios poluídos podem estar prejudicando a saúde das enguias.


No estudo, são mostrados os resultados de um experimento feito com espécimes da enguia europeia, os quais foram colocados em tanques de água com pequenas folhas de coca, o suficiente para simular a concentração encontrada nos rios.


Enquanto as enguias pareciam muito animadas do lado de fora, seus corpos contavam uma história bem diferente: a substância havia tomado conta de seu cérebro, músculos e guelras, além de vários outros tecidos do corpo.


A enguia europeia. Foto: Wil Meinderts, Buiten-Beeld/Minden Pictures/National Geographic Creative Foram detectadas graves inflamações musculares e alterações hormonais no metabolismo dos animais. As alterações hormonais poderiam retardar o amadurecimento sexual das enguias mais jovens, enquanto os danos severos aos músculos as impediriam de migrar na estação do acasalamento. 


Incapazes de se reproduzir, a população de enguias pode declinar rapidamente, e o animal, já ameaçado pela pesca predatória, enfrentaria a extinção.

 

Segundo disse Anna Capaldo, bióloga e principal autora do estudo, a contaminação da água por cocaína e outras drogas é um fenômeno que pode ser observado em vários lugares ao redor do mundo.


Concentrações especialmente altas podem ser encontradas em grandes centros populacionais. O rio Tâmisa, na altura dos prédios do Parlamento, em Londres, e o rio Arno, próximo à famosa Torre de Pisa, na Itália, já foram apontados como locais especialmente afetados.

Pelo visto, o Parlamento britânico é bem mais animado do que aparenta serSegundo Capaldo, a cocaína é apenas parte do problema. Além das drogas ilícitas, pesticidas, antibióticos e metais pesados também estão dificultando a vida nos hábitats aquáticos. A melhor solução, além de evitar o consumo de drogas ilícitas, seria a construção de estações de tratamento de água, capazes de filtrar todos os poluentes antes que entrem nos cursos hídricos do nosso planeta.


Então já sabem, crianças: pelo bem das enguias, digam “não” às drogas!


O que você achou dessa história? Conte-nos nos comentários.