Estátua Satânica é erguida em frente a órgão público nos EUA
Estátua Satânica é erguida em frente a órgão público nos EUA
Templo Satânico protesta contra a construção de um outro monumento construído em homenagem aos Dez Mandamentos
Postado em 19/08/2018
(Foto: Arkansas Times/ Facebook/ Reprodução)

Na sexta-feira (17), um monumento satânico foi erguido bem em frente ao Capitólio do Estado do Arkansas, nos Estados Unidos. O gesto, um tanto quanto polêmico, foi uma resposta dos membros da religião frente à construção, na mesma área, de um monumento homenageando os Dez Mandamentos em 2017. Diversos manifestantes se juntaram aos membros do Templo Satânico durante o lançamento da escultura, protestando por maior liberdade religiosa e de expressão. 


Perante a multidão que se aglomerou para a inauguração da estátua, o porta-voz do Templo, Lucien Greaves, apresentou a criatura retratada no monumento, Baphomet, como um “símbolo do pluralismo, igualdade e tolerância legal, livre investigação, liberdade de consciência e reconciliação”.


(Manifestantes protestam em prol de liberdade religiosa durante a inauguração da estátua. Foto: Arkansas Times/ Facebook/ Reprodução)


“Nós não trouxemos Baphomet aqui na esperança de substituir o monumento dos Dez Mandamentos. O propósito do nosso monumento e dos nossos esforços para erigi-lo não é o de impugnar ou silenciar as crenças dos outros ... O que estamos pedindo é apenas que a praça pública, estes terrenos do Capitólio, permaneçam uma área na qual a liberdade de expressão, a liberdade religiosa e a igualdade perante a lei sejam respeitadas pelos detentores de cargos públicos que juraram defender esses valores.


“Isto não é um protesto contra os Dez Mandamentos. Isto não é um protesto dos satanistas contra os cristãos. Este não é um protesto dos secularistas contra os crentes. Esta é uma manifestação em prol da razão contra o preconceito, do progresso contra o declínio, da liberdade contra a teocracia crescente e da tolerância contra os tribalismos infantis”, declarou Greaves.


 (O monumento causador da polêmica, em homenagem a Baphomet. Foto: Arkansas Times/ Facebook/ Reprodução)


Em resposta ao protesto do Templo Satânico, o senador de Estado do Arkansas, Jason Rapert - um dos aprovadores da construção da escultura dos Dez Mandamentos - disse que apoiava os valores de liberdade e igualdade previstos pela lei, mas que considerava “extremista” a atitude do grupo. Acrescentou ainda ser contrário à permanência do monumento satanista em frente ao órgão público. “É mais provável o inferno congelar de frio um dia do que uma estátua ofensiva como essa nos ser imposta bem aqui no terreno do Capitólio do Estado do Arkansas”, afirmou.


Os atritos entre os dois grupos ocorrem desde 2015, quando ocorreu a votação pela construção do monumento dos Dez Mandamentos. Após a aprovação da obra, o clima esquentou mais ainda e, no final de junho de 2017, poucas horas após ter sido inaugurado, o monumento cristão de seis metros de altura foi destruído por um manifestante que jogou um carro na escultura.


(Escultura dos Dez Mandamentos em frente ao Capitólio do Arkansas. Foto: Steve Barnes/Reuters)


Em abril deste ano, um novo monumento dos Dez Mandamentos foi instalado, desta vez com proteção extra para evitar depredações - o que parece ter dado certo. Mas, como se vê, a briga está longe de ter fim.


As palavras de Lucien Greaves, durante a inauguração da estátua de Baphomet, contudo, pareciam buscar reconciliação. “O Templo Satânico nunca pediu que o monumento dos Dez Mandamentos fosse derrubado, nem temos a intenção de fazer com que Baphomet seja erigido a fim de excluir quaisquer outros monumentos de significado religioso… desde o começo [deste conflito] nós fomos claros: nós apenas queremos ter o nosso monumento em terrenos públicos, onde outros monumentos de importância religiosa já estão presentes”.