Estudante americana é esfaqueada até a morte por colega de quarto em Roterdã
Estudante americana é esfaqueada até a morte por colega de quarto em Roterdã
A jovem planejava se mudar do dormitório por ter medo do colega, mas não conseguiu fazê-lo a tempo
Postado em 15/12/2018
Foto: The New York Post/Reprodução

Foi encontrada agonizando num alojamento estudantil em Roterdã, nesta quarta-feira (12), uma jovem americana, de 21 anos, que havia sido esfaqueada até a morte por um colega de quarto. 


A estudante, Sarah Papenheim, estava morando na Holanda já há dois anos. Ela havia se mudado para tentar se recuperar da morte de seu irmão mais velho, que tinha cometido suicídio em 2015.


Sarah estudava psicologia na Universidade Erasmus e era também, como descrito por amigos e familiares, uma grande baterista.


(Jovem se mudou para a Holanda para superar a morte do irmão mais velho. Foto: Facebook/Reprodução)A polícia holandesa prendeu o principal suspeito do crime, um colega de quarto da jovem, nas proximidades de Roterdã. Segundo a mãe da vítima, Donee Odegard, a estudante vinha demonstrando preocupação em relação ao rapaz, pois ele estava se portando de “forma estranha” nos últimos tempos.


“Eu disse que ela precisava sair dali, que ele parecia perigoso”, declarou Donee à ABC na sexta-feira. “Mas ela respondeu: “Não, mãe. Eu sou a única amiga dele, ele não vai me machucar”.


Ainda de acordo com a mãe, Sarah planejava se mudar para o quarto do namorado, que ficava no final do corredor do dormitório. Ela iria aproveitar para pegar suas coisas no antigo quarto enquanto o amigo estivesse tendo aula, para evitar conflitos. Mas parece que ela não conseguiu sair a tempo. 


(Amigos músicos e familiares organizaram um show beneficente para ajudar a trazê-la de volta aos EUA. Foto: GoFundMe)Conhecida no meio musical de Minnesota, sua cidade natal, Sarah inspirou vários músicos locais a fazerem um show beneficente para arrecadar fundos e ajudar os pais dela a trazerem seu corpo de volta para os Estados Unidos.


“Ela era uma jovem bonita e vibrante, uma talentosa musicista que tinha um sorriso que poderia iluminar um quarto”, diz a página do evento. “Ela tocou com alguns dos melhores músicos das cidades gêmeas [Minneapolis-St Paul] e era muito próxima deles. Sua presença é insubstituível... Nós amamos você, menina baterista.”