Fazendeiro inglês morre esmagado por empilhadeira dirigida pelo próprio cachorro
Fazendeiro inglês morre esmagado por empilhadeira dirigida pelo próprio cachorro
Após tragédia, família se consola dizendo que o homem morreu ‘fazendo o que amava’
Postado em 27/11/2018
Foto: CNN/Reprodução

Derek Mead, de 70 anos, trabalhava na construção de um jardim de pedras em sua fazenda, no oeste da Inglaterra, quando uma tragédia inusitada acabou por lhe roubar a vida. Seu cachorro, um Jack Russell terrier, acionou acidentalmente uma das empilhadeiras da propriedade e, numa sequência infeliz de movimentos, ela acabou por passar em cima de Derek, matando-o na hora por esmagamento.  


Uma investigação subsequente revelou que o inglês havia saído da máquina pouco tempo antes do ocorrido, deixando-a em ponto morto para poder abrir os portões de sua fazenda. Por um descuido, no entanto, ele se esqueceu de acionar o freio de mão do veículo.


Foi então que o cão, que acompanhava Derek e ficou dentro da empilhadeira, por uma jogada de azar, acabou por descer a alavanca do aparelho, levando-o a se movimentar para a frente e, tragicamente, passar por cima do fazendeiro.  


(Foto: Wikimedia Commons/Reprodução)

Um dos investigadores do caso, Simon Chilcott, disse acreditar que o animal estava se inclinando para a frente a fim de observar o dono quando o acidente ocorreu. 


“Ele deve ter pulado ou colocado as patas para cima e bateu na alavanca do aparelho, o que acabou colocando-o em movimento”, declarou. 


O legista Peter Harrowing concorda com a análise de Chilcott, qualificando o episódio como um “acidente muito trágico”.


“A explicação mais provável é que o cachorro que estava na empilhadeira com Derek naquele dia inadvertidamente moveu a alavanca, fazendo a máquina se mover para a frente e, infelizmente, prensar o Sr. Mead contra o portão da propriedade, causando ferimentos aos quais ele não sobreviveu”.


(Segundo a família, Derek morreu feliz, fazendo o que amava. Foto: Standard UK/Reprodução)A família do inglês, apesar dos pesares, declarou não guardar rancor do animal e buscou algum conforto na tragédia ao pensar que Derek morreu feliz. 


“Ele estava fazendo o que amava e fazia desde que era um menino”.