Garçonete viraliza ao revidar assédio sexual de cliente, confira o vídeo
Garçonete viraliza ao revidar assédio sexual de cliente, confira o vídeo
Emelia Holden, de 21 anos, decidiu que não levaria desaforo para casa. “Eu fiquei tipo: ‘não, isso não vai acontecer’”
Postado em 21/07/2018
Foto: Facebook/YouTube

Uma garçonete norte-americana, no Estado da Geórgia, viralizou na internet esta semana após se defender fisicamente de um cliente que a assediou. As filmagens do ocorrido, capturadas pelas câmeras de vigilância do estabelecimento, espalharam-se rapidamente pelas redes sociais, e a jovem de 21 anos se tornou nova heroína do empoderamento feminino.   



O caso se deu em 30 de junho, na cidade de Savannah, na Geórgia. Emelia Holden, que além de garçonete faz faculdade, trabalhava tranquilamente na pizzaria Vinnie Van Go-Go, quando Ryan Cherwinski, de 31 anos, aproximou-se dela e, sem qualquer pudor, apalpou-lhe as nádegas. Mas esse não seria um ato impune. 


“Eu fiquei tipo: 'Não, isso não vai acontecer'", disse Emelia, que, transtornada, foi atrás do cliente, agarrou-o pelo colarinho da camisa e jogou-o no chão, repreendendo-o ainda em voz alta na frente de todas as outras pessoas no restaurante. “Eu nem percebi que o derrubei daquele jeito até ver o vídeo depois”, afirmou a jovem ao site Inside Edition.


(“Ele teve o que mereceu”, teria afirmado Emelia. Foto: Facebook)


Depois do incidente, Emelia pediu a um colega de trabalho que chamasse as autoridades. Quando a polícia chegou, Cherwinski logo se defendeu, alegando ter tentado apenas tirar a garçonete do caminho enquanto passava. Mas a desculpa não colou: assim que assistiram ao vídeo, o homem foi imediatamente preso.


(Ryan Cherwinski foi preso por assédio sexual. Foto: Departamento de Polícia de Savannah)


De acordo com a porta-voz da polícia, Bianca Johnson, Cherwinski foi levado sob custódia e passou duas noites na prisão, enfrentando acusações de assédio sexual. A punição, segundo Emelia, foi bem-vinda. “Ver ele sendo levado algemado foi bom”, afirmou. “Na opinião, ele teve o que mereceu”.


A jovem acrescentou ainda esperar que sua experiência mostre às mulheres que “não há problema em se defender”. “Você tem todo o direito de se vestir como quiser e certamente tem todo o direito de se defender.”


E ela está absolutamente certa, vocês não acham?