Husky siberiana ajuda dona a descobrir câncer por três vezes
Husky siberiana ajuda dona a descobrir câncer por três vezes
“Eu devo minha vida a ela. Ela é um presente de Deus para mim”, afirma a americana que foi diagnosticada por 3 vezes após alerta do animal
Postado em 6/12/2018
Foto: Facebook/Stephanie Herfel/Reprodução

“O cão é o melhor amigo do homem”, essa máxima, reproduzida infinitamente por entre as pessoas, por vezes se mostra como a maior verdade já dita. É o caso de Sierra, uma husky siberiana que conseguiu ajudar a diagnosticar o câncer de sua dona, Stephanie Herfel, em não uma, mas em três ocasiões diferentes.


Conforme contou ao jornal Milwaukee Journal Sentinel, na primeira vez em que Sierra mostrou suas habilidades especiais, Stephanie estava em seu sofá descansando após um longo dia de trabalho, e a cachorra simplesmente se aproximou dela e ficou farejando seu ventre de um modo bastante peculiar. “Ela cheirou minha barriga de uma forma tão intensa que eu achei que tinha derramado algo nas minhas roupas”, declarou a americana, de 52 anos. “Ela fez isso ainda umas outras três vezes, e então se escondeu”.


(A heroína da história, Sierra, conseguiu farejar o tumor da dona por três vezes. Foto: Facebook/Reprodução)Stephanie ficou intrigada com o fato, pois vinha tendo algumas dores justamente naquela região, então decidiu marcar uma consulta com sua médica para fazer um check-up. Na clínica, a ginecologista afirmou que ela tinha apenas um cisto ovariano, o que não era grave por si só, e lhe prescreveu alguns remédios para dor.


Chegando em casa, com a medicação em mãos, a americana se deparou com Sierra agindo de forma ainda mais estranha. O animal, segundo ela, não queria sair do seu armário, onde ficava se enrolando de maneira frenética em cima das suas roupas.


A dona da cachorra não teve dúvida e voltou à médica, quem, após novos exames, diagnosticou Stephanie com um câncer de ovário no estágio III.


“Ver a Sierra ficar com tanto medo era assustador por si só. Então eu marquei uma consulta com uma ginecologista e, em questão de semanas, após um exame de sangue com ultrassom, lá estava eu sentada na sala da ginecologista, em choque, ouvindo que eu tinha câncer”, relatou a americana.


(Amigas inseparávels, Sierra e Stephanie, num porta-retrato. Foto: Facebook/Reprodução)Ela foi então submetida a uma cirurgia e começou o tratamento com quimioterapia. Após vários meses de luta, em abril de 2014, Stephanie foi finalmente declarada curada da doença. Mas a felicidade durou pouco.


Entre 2015 e 2016, Stephanie começou a se sentir mal novamente - e Sierra voltou a ter os mesmos comportamentos estranhos que tivera anos antes. Sempre farejando a região onde o novo tumor se encontrava e emitindo sons de alerta. A primeira recidiva foi no fígado e a segunda, na região pélvica. 


“Ela realmente foi uma dádiva de Deus para mim”, conta a americana. “Ela simplesmente não errava.”


O médico oncologista de Stephanie, Dr. David Kushner, no entanto, disse não estar surpreso com as ações da cachorra. De acordo com ele, diversas raças de cães têm um olfato tão apurado que são capazes de sentir o cheiro de tumores com uma precisão quase absoluta.


“É quase como se o cão soubesse o que está acontecendo e mostrasse ao dono que está com medo”, confirmou Ashley Wagner, médica da Aliança de Câncer de Ovário de Wisconsin. 


(Segundo Dr. David Kushner, alguns cães podem de fato sentir o cheiro de tumores. Foto: Facebook/Reprodução)Atualmente, Stephanie se encontra saudável e com muito otimismo, apesar de saber dos riscos que ainda corre de a doença voltar. “Há coisas novas saindo todos os dias. É assim que eu vivo minha vida. A gente faz o melhor que pode na hora do “vamos ver” até que uma opção melhor apareça”, disse ela.


A americana também diz que deseja escrever um livro sobre sua amiga e heroína Sierra. “Eu sinto que minha história pode ajudar as pessoas a olharem para seus animais de estimação e pensarem: ‘Nossa, meu bichinho fez isso quando eu fui diagnosticada’. É bom dar crédito aos animais, eles são muito espertos”.