Japonês se casa com ‘holograma’ de personagem virtual por não confiar mais nas mulheres
Japonês se casa com ‘holograma’ de personagem virtual por não confiar mais nas mulheres
Após anos de experiências traumáticas com as mulheres de sua vida, Akihiko Kondo decidiu apelar para outra dimensão
Postado em 15/11/2018
Foto: @yamadataro43/Twitter

Um japonês, de 35 anos, ganhou as manchetes da Ásia, no começo do mês, ao se casar com um ‘holograma’ de uma famosa pop star virtual. A noiva é Hatsune Miku, uma das mais populares criações da companhia japonesa Crypton Future Media.


(A noiva, Hatsune Miku, é uma famosa cantora virtual. Foto: Divulgação.)A cerimônia se deu em 4 de novembro, em Tóquio, e custou cerca de R$ 67 mil. No evento, o qual contou com apenas 39 convidados, Hatsune esteve representada por uma boneca de si mesma - já que, de fato, ela existe somente no espaço virtual.


Durante a festividade, o noivo, Akihiko Kondo, fez questão de trocar alianças e votos com a personagem, além de assinar uma certidão extraoficial de casamento - a qual, contudo, não produzirá efeitos legais no Japão.


Ainda assim, a empresa Gatebox, responsável pelo dispositivo de holograma com Hatsune, garantiu a validade do documento, afirmando que ele simboliza uma ligação “para além das dimensões” do mundo real. 


(Troca de alianças e votos marcou a cerimônia de casamento dos pombinhos. Foto: @ogino_otaku/Twitter)

Entre os convidados da cerimônia, estiveram amigos e familiares de Kondo, bem como duas figuras políticas importantes: o membro do parlamento japonês Taro Yamada e o congressista Ogino Otaku.


A mãe do noivo, todavia, recusou-se a prestigiar o evento. “Ela me disse que não havia nada a ser celebrado”, afirmou Kondo.


("A Miku-san me salvou", afirma Kondo. Foto: @ogino_otaku/Twitter)

O japonês narra que decidiu se casar com Hatsune após ter diversas experiências traumáticas com colegas de trabalho do sexo feminino. Em entrevista ao site Next Shark, Kondo relata que, nos últimos 10 anos, havia sofrido inúmeros assédios por parte das suas superiores em seu emprego, chegando mesmo a ser suspenso por uma delas sem qualquer justificativa.


Arrasado emocionalmente e com dificuldade de confiar nas mulheres, ele encontrou apoio moral na personagem de Hatsune Miku. “Ela é a mulher que eu amo e também quem me salvou”, diz ele.


“Acredito que devamos considerar todos os tipos de amor e todos os tipos de felicidade”, afirma Kondo, quem se identifica como parte de uma “minoria sexual”.


(Apesar das controvérsias, Kondo se diz feliz com o casamento. Foto: @yamadataro43/Twitter) Diante das críticas que recebeu quanto à sua decisão, ele afirmou que casar-se com pessoas “reais” e ter filhos não significa necessariamente ter um final feliz. 


“Simplesmente não está certo, é como se você estivesse tentando convencer um homem gay a namorar uma mulher ou a uma lésbica a ter um relacionamento com um homem”, argumenta.


É como dizem: o amor faz coisas que até Deus duvida...