Japonesa é presa após manter há anos bebê morto em armário guarda-volumes
Japonesa é presa após manter há anos bebê morto em armário guarda-volumes
“Eu entrei em pânico”, afirmou ela à polícia de Tóquio, relatando os motivos do crime
Postado em 26/09/2018
(Foto: AFP)

Uma mulher, de 49 anos, foi presa no Japão, na terça-feira (25), após as autoridades descobrirem que ela mantinha, há vários anos, o corpo de um bebê natimorto dentro de um armário guarda-volumes da estação de trem de Tóquio. 


Conforme conta a polícia japonesa, a mulher, Emiri Suzaki, ficou desesperada quando, “quatro ou cinco” anos atrás, deu à luz a criança e percebeu que ela havia nascido morta. “Eu entrei em pânico”, afirmou a mãe. “Eu guardei o corpo porque não tinha como me livrar dele”.


(Estação de trem de Tóquio, onde o bebê foi encontrado. Foto: JNTO/CNN/Reprodução)

 

Os restos mortais do bebê foram encontrados, na segunda-feira (24), depois de a própria suspeita relatar o crime às autoridades. O corpo do natimorto estava embrulhado num saco plástico, dentro de um armário guarda volumes, que Emiri pagava periodicamente para ninguém mais ter acesso.


A japonesa, que atualmente está desempregada, resolveu se entregar à polícia, na segunda, após ter sido expulsa da casa de um amigo, onde estava residindo. Segundo narra, ela teria esquecido a chave do armário na residência e ficou com medo de que o colega descobrisse o corpo. 


De acordo com a delegacia de Tóquio, o bebê foi abandonado logo após seu nascimento, mas não se sabem quais foram as circunstâncias de sua morte.