Revoltante: Meninas mantidas em porão de escola por atraso na mensalidade
Revoltante: Meninas mantidas em porão de escola por atraso na mensalidade
As crianças, de idades entre 4 e 6 anos, ficaram presas num quarto fechado por pelo menos 5 horas; os pais estão revoltados
Postado em 11/07/2018
Getty Images

A polícia indiana foi chamada, nesta segunda-feira (9), para resgatar 16 alunas que eram mantidas no porão de uma escola em Déli, a segunda maior cidade do país. Segundo a direção da escola, a ação foi realizada em resposta ao atraso no pagamento das mensalidades das alunas. As vítimas, cujas idades estavam entre quatro e seis anos, permaneceram presas no local por pelo menos 5 horas.


(Crianças foram mantidas presas por 5 horas. Foto: Zee News Photo)


O incidente se deu quando um dos pais foi à escola Rabea Girls’ Public School buscar sua filha e não a encontrou. Consternado, ele procurou a direção do estabelecimento e recebeu a revoltante notícia. “Perguntamos ao pessoal da escola e eles nos informaram que as crianças estavam sendo mantidas no porão desde as sete da manhã, e que a porta estava trancada do lado de fora. Abrimos a porta e vimos as crianças no chão. O quarto estava quente e havia apenas dois ventiladores. A maioria das crianças estava com sede e fome”, afirmou o pai.


Os pais então, revoltados, procuraram a polícia e prestaram queixa. A maioria disse ainda que o argumento da escola, além de absurdo, não era procedente. "Mesmo depois de eu mostrar a prova [do pagamento da mensalidade], a diretora não pediu desculpas nem demonstrou remorso", disse um dos pais ao site de notícias indiano NDTV. 


Quando questionada sobre o ocorrido, a diretora da escola, Farah Diba Khan, proferiu blasfêmias e se recusou a dar maiores declarações. 


 (Os pais negaram o atraso no pagamento das mensalidades, mas diretora os ignorou. Investigação é feita pelas autoridades. Reprodução: DNA India)


As autoridades policiais indianas, em conjunto com a Comissão de Déli para a Proteção dos Direitos da Crianças, já abriram um inquérito para averiguar o caso.