Menino de 11 anos mata avó após ela pedir que ele arrume o quarto
Menino de 11 anos mata avó após ela pedir que ele arrume o quarto
O crime, ocorrido nos Estados Unidos, abalou a vizinhança de Lichfield Park
Postado em 8/11/2018
(Foto: ABC News/Reprodução)

Um crime chocou a população do Arizona, nos Estados Unidos, no último sábado (3). Um garoto de 11 anos, irritado com a insistência de sua avó sobre a arrumação de seu quarto, pegou uma arma e atirou na pobre senhora, matando-a na hora. Ao perceber o resultado de seu feito, o menino, então, desesperado, mirou o revólver em sua própria cabeça e acabou, também, morrendo.


(Casa onde ocorreu a tragédia, na vizinhança de Lichfield Park. Foto: ABC News/Reprodução)Segundo notícia pela CNN, o pré-adolescente morava com seus avós no bairro de Lichfield Park, no Arizona, e nunca havia demonstrado comportamento agressivo antes. Mas, no dia 3 de novembro, após sua avó lhe pedir repetidas vezes que arrumasse o quarto, ele ficou enfurecido e surpreendeu-a com uma arma, causando a fatalidade.


“O neto apareceu por trás dos avós e atirou na nuca [da avó] com uma pistola que pertencia ao avô”, contou Joaquin Enriquez, porta-voz do Gabinete de Polícia do Condado de Maricopa. 


Em depoimento às autoridades, o avô do garoto disse que, por mais horrorizado que estivesse com a cena, ainda correu atrás do jovem para evitar uma tragédia maior, mas não conseguiu chegar até ele a tempo. Em questão de segundos, um outro disparo foi ouvido; o menino havia tirado também a própria vida.


Completamente transtornado, o senhor ligou então para a emergência - mas já era tarde. Tanto a sua esposa quanto o neto não puderam ser socorridos.



Lamentando o incidente, a população de Lichfield Park realizou uma pequena cerimônia em frente à casa das vítimas. Em entrevista à KTVK, eles afirmaram que nunca esperariam algo assim da família.


“[Eles eram uma] Família legal. Eu conheci o garoto. Ele costumava andar de bicicleta e brincar pelo bairro”, afirmou Walter Venerable, morador da vizinhança. “Eu não consegui digerir o fato ainda. Quero dizer, este é um bairro legal, aqui é muito tranquilo - como você pode ver - o que aconteceu foi simplesmente trágico”.