Mulher marca encontro com centenas de homens no mesmo dia - e faz seleção deles ao vivo
Mulher marca encontro com centenas de homens no mesmo dia - e faz seleção deles ao vivo
A jovem queria fazer um experimento social, mostrando a superficialidade dos aplicativos de relacionamento
Postado em 22/08/2018

Semana passada, uma jovem americana realizou uma experiência um tanto quanto curiosa. Cansada da superficialidade dos aplicativos de relacionamento, ela fez com que centenas de homens fossem ao mesmo local, no mesmo horário, na esperança de ter um encontro com ela - o que nunca aconteceu. O caso, ocorrido em Nova York, foi relatado no Twitter por um dos candidatos desiludidos e, por motivos óbvios, viralizou pela rede.  


Segundo a “vítima” narrou, a jovem, Natasha Aponte, conhecia os homens pelo Tinder, trocava algumas mensagens com eles e, depois, inventava uma desculpa, alegando que entraria em contato mais tarde para pudessem marcar alguma coisa. “Eu achei que aquela era uma forma muito elaborada de dar um perdido em alguém. Mas respondi, ‘tudo bem, não fico ofendido, entendo completamente. A gente se fala quando você estiver livre’”, narrou o rapaz.


Eis que então, uma semana depois, a moça convidou a todos os “pretendentes” para um suposto evento no qual uma amiga dela que era DJ iria tocar, na praça da Union Square, às seis da tarde. O usuário do Twitter se disse surpreso com o convite, mas aceitou mesmo assim. 


Chegando ao local combinado, ele contou que viu um palco no centro da praça e vários outros homens diante dele. Tudo parecia estar em ordem, então ele não desconfiou de nada.



Mas as coisas mudaram quando, repentinamente, Natasha subiu no palco e revelou aos espectadores que todos ali eram “matches” dela no Tinder, e que ela pretendia “selecioná-los” ao vivo no local.


Conforme narra o “pretendente” do Twitter, os rapazes na multidão ficaram se entreolhando, incertos do que estava se passando. Mas, apesar da revelação, muitos ainda permaneceram na praça para ver o desenrolar dos fatos.


Aos valentes sobreviventes, Natasha começou a estabelecer algumas regras. A primeira delas foi que aqueles que já estivessem em um relacionamento fossem embora, afinal pesquisas apontavam que pelo menos metade dos usuários do Tinder eram comprometidos. A seguir, dispensou também os eleitores de Trump. Por fim, ela seguiu com outras exclusões categóricas como: homens que levaram um “pé na bunda”, que eram chamados Jimmy, que tinham barba comprida, ou “barriga de chope”, ou eram fumantes, dentre outros.


O jornal The Guardian teve acesso a uma filmagem de baixa qualidade do evento, mas essa acaba antes do desfecho do episódio - então não se sabe quem (ou se alguém) sobreviveu até o final e teve a chance de sair com a garota. 


Fato é que, a cada exclusão, Natasha comprovou empiricamente o que muita gente já sabia sobre os aplicativos de relacionamento: separar o joio do trigo não é tarefa simples. Mas, decerto, a gente pode aprender alguma coisa com a experiência.


E você, o que achou?