Quase 24 metros de altura: onda gigante é novo recorde no Hemisfério Sul
Quase 24 metros de altura: onda gigante é novo recorde no Hemisfério Sul
Onda teria tamanho equivalente a um prédio de oito andares
Postado em 14/05/2018

Com 23,8 metros de altura, foi documentada, nesta terça-feira (8), a maior onda já registrada no Hemisfério Sul. O registro foi feito por cientistas neozelandeses no Oceano Austral, perto de Campbell Island, cerca de 700 km ao sul da Nova Zelândia, numa região famosa por haver constantes e violentas tempestades em alto mar.



Segundo Tom Durrant, oceanógrafo pesquisador do MetService (Serviço Meteorológica da Nova Zelândia), a onda foi medida por uma boia oceanográfica, a qual estava no local desde março para estudar as recorrentes tempestades tropicais, e foi justamente resultado de uma delas. Seu tamanho de quase 24 metros destronou o recorde anterior, de 22,03 metros, ocorrido na ilha da Tasmânia, na Austrália.


"É um evento muito empolgante, até onde temos registrado, é a maior onda já documentada no nosso hemisfério", afirma Durrant, quem, contudo, considera a possibilidade de que ondas ainda maiores não tenham sido captadas, uma vez que o aparelho utilizado apenas registra ondas durante vinte minutos a cada três horas.


Embora uma onda com altura equivalente a um prédio de 8 andares seja impressionante, esse é um recorde exclusivo do Hemisfério Sul. A maior onda do mundo, de acordo com a revista científica Smithsonian Magazine, chegou à marca de 30,5 metros de altura e ocorreu em 1958, em Lituya Bay, no Alasca, como consequência de um terremoto.


Ao contrário desta última, causada por uma abalo sísmico, a onda registrada no Hemisfério Sul está associada a fatores como a temperatura das águas oceânicas.  Com as mudanças climáticas atuais, há a previsão, por parte de alguns cientistas,  de que, nos próximos anos, o fenômeno se torne cada vez mais comum, com ondas ainda maiores.


Para outros pesquisadores, contudo, essa é uma perspectiva alarmista, inexistindo relação entre a incidência de ondas gigantes e o aquecimento global.


Em meio a essa polêmica, só nos resta especular. E você, o que acha?