Passageiro pede que comissária abaixe suas calças e limpe seu traseiro em voo para Taiwan
Passageiro pede que comissária abaixe suas calças e limpe seu traseiro em voo para Taiwan
Segundo relatos, o homem, que pesava cerca de 200 kg, teria ameaçado ‘se aliviar’ no chão do avião caso comissárias não o obedecessem
Postado em 22/01/2019
Foto: The NY Post/Reprodução

Um passageiro de um voo em Taiwan extrapolou todos os limites do absurdo, no sábado (19), ao pedir que os comissários de bordo abaixassem suas calças para que ele pudesse usar o banheiro e, logo em seguida, que limpassem seu traseiro - enquanto ele gemia escandalosamente em júbilo durante o ato. 


O caso se deu num voo entre Los Angeles e Taipei da companhia aérea EVA Air - conhecida por empregar apenas mulheres para a tripulação de cabine. Já o fatídico passageiro era um homem obeso, de cerca de 200 kg, que estava confinado numa cadeira de rodas.


Conforme notícia do New York Post, após duas horas da decolagem, o homem chamou uma das comissárias e pediu ajuda para usar o sanitário - o que, de início, pareceu razoável. Mas, para surpresa dela, ele foi adiante e solicitou que ela o ajudasse a retirar suas roupas de baixo, e as coisas ficaram um pouco mais constrangedoras.


“Eu senti que, como comissária de bordo, retirar a roupa de baixo de um passageiro estava além do escopo das minhas responsabilidades”, afirmou a funcionária em entrevista coletiva, acompanhada por representantes do Sindicato de Comissários de Bordo de Taoyuan. “Eu disse a ele que não poderíamos ajudá-lo, mas ele começou a gritar. Ele me disse para ir lá ajudá-lo imediatamente, ameaçando se aliviar ali mesmo no chão”, continuou. 


“Diante do fato de os genitais dele estarem expostos, uma das minhas colegas trouxe um cobertor, que eu usei para cobrir suas privacidades”, narrou ela. “Mas ele bateu na minha mão com violência, dizendo que ele não queria nada daquilo, que bastava que eu removesse sua cueca para que ele pudesse usar o banheiro”.


Além do absurdo do pedido, o passageiro ainda exigiu que a porta do banheiro ficasse aberta, alegando que, do contrário, “ele não conseguiria respirar”.


(Passageiro pesava cerca de 200 kg e estava preso numa cadeira de rodas. Foto: AsiaWire)

Não bastante a situação, logo a seguir, as pobres mulheres ainda tiveram de enfrentar outro drama. Tendo terminado seus afazeres no banheiro, o homem pediu que elas o limpassem, recusando-se a sair do local antes que elas o fizessem. 


Por óbvio, as comissárias se sentiram ultrajadas com o pedido e se negaram prontamente. Mas, diante das ameaças e do clima constrangedor, elas se viram sem saída senão realizá-lo. Foi então que as coisas ficaram ainda mais embaraçosas.


“Ele começou a gritar: ‘Ah, mmm, mais fundo, mais fundo’, e então acusou minha colega de não limpar adequadamente o traseiro dele, pedindo que ela fizesse tudo de novo”, disse a funcionária do voo. E, quando ela, humilhada para além de suas capacidades, o fez, o homem finalmente resolveu ‘cooperar’. “Você pode puxar minhas calças de volta agora”, ele teria dito.  


Após o incidente, o sindicato ofereceu denúncia contra o passageiro, alegando ter sido aquele um claro caso de assédio sexual. Pediu ainda que a EVA Air tome as medidas legais cabíveis e que, além disso, também estabeleça procedimentos padrões para tais casos, exigindo, por exemplo, que portadores de deficiência fossem acompanhados por um responsável durante seus voos.


Em comunicado oficial, na segunda-feira (21), a companhia aérea informou que os seus funcionários estão autorizados a recusar quaisquer pedidos que considerem ser inadequados e ressaltou sua disposição a oferecer a eles toda forma de assistência legal contra passageiros hostis.