Segue a greve dos caminhoneiros em todo o país
Segue a greve dos caminhoneiros em todo o país
Diversos setores econômicos já sentem os efeitos da parada
Postado em 25/05/2018
Greve dos caminhoneiros interrompe fluxo nas estradas. Foto por Severino Silva / Agência O Dia.

Após mais uma tentativa de aumento dos preços dos combustíveis, em especial do diesel, os caminhoneiros do país inteiro resolveram se unir e realizaram uma greve em escala nacional. A greve não foi organizada por nenhuma organização sindical, aparentemente a mesma foi iniciada de maneira espontânea após a distribuição de mensagens pelo aplicativo WhatsApp.



As consequências dessas paradas foram sentidas pelos brasileiros, logo no primeiro dia, devido ao trânsito lento em anéis rodoviários e outros trechos de rodovia que passam pelas grandes cidades como São Paulo, Belo Horizonte, entre outras. Mas se na segunda-feira o maior impacto era no trânsito lento, atualmente diversos setores econômicos sentem os efeitos da greve.


Como são os caminhões que fazem o transporte de combustível para os postos, existe uma grande quantidade de postos de abastecimento que estão atualmente sem combustível. Doze aeroportos nacionais estão com as reservas de querosene para aviação em baixa, segundo alerta da Infraero. Outros setores também sentem a falta de fluxo de mercadorias, existem até mesmo padarias que não produzem pão devido à falta de trigo.


Para tentar interromper a greve, o governo tenta diversas medidas, da redução de impostos à redução do preço do combustível nas refinarias (controladas pela PETROBRAS, que é estatal). É bom lembrar que mais de 45% do preço do combustível é consequência dos tributos federais e estaduais.


 

A expectativa é que o custo do diesel reduza em até 10% após as manobras feitas pelo governo e pela Petrobras. No entanto, os caminhoneiros ainda seguem em greve, e a população sentirá os efeitos de maneira cada vez mais intensa. Existem ônibus parados em São Paulo e no Rio de Janeiro e, em algumas cidades, determinados insumos tiveram seu preço elevado devido à velha lei da oferta (baixa) e procura (alta).


E na sua cidade, você sente os efeitos da greve? Você concorda com essas paradas? Conte sobre a sua experiência nos comentários.