Serial killer alemão morre na cadeia durante prática sexual bizarra
Serial killer alemão morre na cadeia durante prática sexual bizarra
Egidius Schiffer, famoso estrangulador de mulheres alemão, morreu após se masturbar com um cabo de abajur em volta do pênis
Postado em 27/07/2018
Foto: Bild/Reprodução

Acusado de assassinar brutalmente pelo menos cinco mulheres entre 1983 e 1990, o serial killer Egidius Schiffer mal podia prever que, um dia, seria ele mesmo a última vítima de suas mãos. Preso, desde 2008, na cidade de Bochum, na Alemanha, Schiffer foi encontrado morto em sua cela, na última segunda-feira (23), em circunstâncias bem incomuns. Segundo relatos, ele morreu após se eletrocutar acidentalmente enquanto praticava um peculiar ato de autossexualização. 


(Os crimes de Schiffer permaneceram impune por 18 anos. Foto: RTL Media Group)


Por conta do seu modus operandi na hora de matar, Schiffer era conhecido na Alemanha como o “Estrangulador de Aachen”. Ele costumava sequestrar suas vítimas, em geral mulheres de 15 a 31 anos, oferecendo a elas carona perto de bares e boates. Quando elas aceitavam, ele as levava para um bosque e, então, seguia seu ritual de amarrá-las, estuprá-las e, por fim, estrangulá-las até a morte. 


Schiffer saiu ileso dos seus crimes por 18 anos. Foi apenas em 2008 que a polícia alemã conseguiu enfim condená-lo. E, desde então, ele enfrentava a pena de prisão perpétua.


(Prisão em Bochum, na Alemanha, onde Schiffer estava preso. Foto: Alamy/Reprodução)


Durante o seu julgamento, Schiffer chegou a confessar os assassinatos, mas logo negou suas próprias palavras e se disse inocente. De acordo com ele, a confissão anterior havia sido produto de uma fantasia sexual sua, pois ele era sadomasoquista e sentia prazer em se imaginar trancafiado na prisão. 


(Schiffer foi encontrado em sua cela morto após prática sexual sadomasoquista. Foto: Bild/Reprodução)


Ao que tudo indica, pelo menos parte dessa alegação era verdadeira. Mantido em confinamento solitário numa cadeia alemã pelos últimos oito anos, Schiffer morreu esta semana após uma prática sexual, de fato, sadomasoquista.


“Ele removeu um cabo de seu abajur de cabeceira. Em seguida, ele o enrolou nos mamilos e no pênis e enfiou o fio na tomada de força”, relatou a porta-voz da prisão, Candida Tunkel. Ainda segundo relatório da polícia, o assassino teria tentado se masturbar enquanto recebia choques elétricos.


Sua morte, deste modo, foi produto de um acidente durante o ato auto-erótico. O legista do caso disse acreditar que Schiffer, com seus 62 anos, não tenha aguentado os estímulos elétricos e tenha tido um ataque cardíaco após receber uma descarga muito forte. 


Confirmando a hipótese do médico, as autoridades locais afirmaram não haver indícios de crime ou “provas de suicídio”. 


Ironicamente, portanto, tal qual suas vítimas, Schiffer morreu sob suas próprias mãos enquanto realizava mais uma de suas bizarras práticas sadomasoquistas.